Dr. Mario Celso Schmitt

Home

02 DE ABRIL, DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO

02/04/2018

 O papel da alimentação e nutrição no tratamento e melhora da qualidade de vida das crianças diagnosticadas com autismo é inegável. Se você possui filhos pequenos, sobrinhos ou irmãos e se interessa por sua saúde e bom desenvolvimento, recomendo fortemente que a sigam nas redes sociais, pois iremos falar muito mais sobre este tema.

Hoje, 2 de abril, celebramos o Dia Mundial da Conscientização do Autismo e por isso, trouxe o assunto que é de interesse de muitas mamães e papais com filhos diagnosticados com TEA (Transtorno do Espectro Autista).

Afinal, o que a alimentação tem a ver com o autismo?

É bem verdade que o tema levanta muitas discussões entre a comunidade médica, que parece não chegar a nenhum tipo de consenso sobre a importância de uma estratégia alimentar para a criança autista.

A bandeira que levanto é: antes de tratar Autistas, trato Seres Humanos!

E quando adotamos essa visão, fica muito fácil de entender que poucas coisas são TÃO IMPORTANTES para a saúde humana quanto uma nutrição adequada! 🥦🍉🍓

Entretanto, existem sim mudanças e boas práticas que podem ser incluídas na alimentação de uma criança autista e que por experiência própria em consultório geram ótimos resultados!!

Entre os benefícios, posso citar:

✅ Redução das cargas tóxicas
✅ Redução da inflamação intestinal e cerebral
✅ Digestão e absorção de nutrientes
✅ Equilíbrio da Flora Intestinal

Aliás, trabalhar junto da alimentação o fortalecimento desse equilíbrio da flora (micro bioma) é o caminho inicial para melhorar a #SeletividadeAlimentar!

🙅‍♀💢 Sabe a criança que só come batata frita, macarrão e salsicha e nada mais?

A preferência exclusiva por certos alimentos é bem comum dentro do espectro porque a criança tem dificuldades sensoriais e fica muito difícil para ela aceitar novos cheiros, texturas e sabores (e às vezes até cores!).

👉 Pode existir uma ligação entre a saúde intestinal e o equilíbrio da microbiota e certos tipos de comportamentos alimentares, entre eles a seletividade extrema. Portanto, de olho no intestino do seu filho!

Os alimentos fermentados naturalmente e ricos em probióticos podem ser de muita ajuda nesse sentido.

Cada criança é única e acredito que sua alimentação e estratégia nutricional devam ser sempre personalizadas para que o foco seja sua saúde, segurança, bem-estar e desenvolvimento feliz.




Ter um filho ou filha que faça parte do espectro autista demanda dedicação por parte dos pais, sem dúvidas.

É comum ouvi-los falar sobre o comportamento, sobre a dificuldade em gerir a agitação, a falta de concentração e acalmar as crianças.

Além do acompanhamento multiprofissional, acredito plenamente no poder que a NUTRIÇÃO ADEQUADA também possui no tratamento e auxílio da conquista de uma vida de ainda mais qualidade para essas crianças.

No mais, polêmicas à parte, creio que não podemos mais fechar nossos olhos para a verdadeira EPIDEMIA de crianças com doenças relacionadas à alimentação.

Obesidade, Síndrome Metabólica, Desnutrição, Autismo, TDAH, Alergias Alimentares, Distúrbios Hormonais, Displidemias, Déficit de Crescimento, tudo genético?

Não podemos ser ingênuos. Os fatores externos (estilo de vida, hábitos, estado nutricional, exposição à agrotóxicos, poluição, percentual de gordura, etc.) da gestante influenciam o DNA do feto ainda no útero, tornando-o mais suscetível para certos tipos de doenças.

👉 Está na hora de começar a focar no que realmente importa: na saúde de seus filhos e netos daqui para a frente.

Vamos refletir e buscar  conhecimento para saber que mudanças pode fazer em sua vida para alcançar um futuro melhor para você e seus filhos.

 

 

Galeria de Imagens
Compartilhar
Faça um Comentário